*




4 de mar de 2009

Considerações sobre "Contos de Fadas"

(em minha biblioteca)
Foto de Marli Reis


Desde tempos remotos que a humanidade registra seus acontecimentos através de imagens, registros que foram tomando a forma de símbolos como resultado da interação do homem com o meio, que por sua vez foram se aperfeiçoando, transformando-se em traços, letras, palavras, livros. Esse processo evolutivo das civilizações trouxe facilidades na comunicação e uma riqueza de experiências artísticas ao contexto familiar, social e escolar.

As ocorrências mais significativas foram repassadas entre gerações e muitas delas, em forma de contos sobre um mundo de príncipes e princesas, duendes, anões, gigantes, lobos, dragões, bruxas e muitos outros personagens que assustam e encantam, numa alternância do pensar e sentir.

Quem não gosta de histórias? Que criança não pára diante do mundo encantado de príncipes corajosos, princesas gentis, fadas bondosas, bruxas malvadas, lobos ferozes, dragões raivosos? Até mesmo os adultos são agraciados pelos benefícios de um conto.

É possível encontrar nos contos de fadas acontecimentos que se relacionam ao mundo imaginário do ser humano ou mesmo a emoções contidas. Nesse encontro, uma luz se acende, percepções são despertadas, decisões corretas são tomadas. Por fim, a vida vai se construindo pelo aperfeiçoamento do mundo interno de cada um, formando novos significados pelos caminhos simbólicos dos contos.

Além do valor simbólico existente nos contos de fadas, pode-se ressaltar a importante função da ativação da capacidade de atenção, concentração e fortalecimento da criatividade, advindos da relação como ouvinte ou leitor.


Escrito por Marli Reis

Nenhum comentário: