*




29 de mai de 2010

No garimpo...

Lua, vista da varanda numa tarde em Fortaleza/CE
Fotografia: Marli Reis 


O PLANETA TERRA...
QUE FASCINA!

A Terra é o terceiro dos planetas principais do sistema solar, em ordem crescente das distâncias do Sol. Situa-se entre Vênus e Marte. Gira sobre si própria, com movimento quase uniforme, em torno de um eixo que passa por seu centro de gravidade, enquanto circula em redor do Sol, em órbita elí­ptica. O eixo médio dessa órbita mede aproximadamente 149.500.000 km. Sua massa: 6 x 1021 toneladas. O estudo de certas radioatividades naturais permitiu fixar aproximadamente a idade da Terra em 4,5 bilhões de anos.
(Fonte: www.dicionárioweb.com.br)


***

Gosto muito de pensar a respeito disso, sempre desperta um sentido de participação, uma percepção mais acentuada do tempo e espaço, um modo de olhar melhor para mim. Compartilho...



9 de mai de 2010

No garimpo...

 Nascer do sol, em Fortaleza.

Fotografia: Marli Reis

 

O PLENO E O VAZIO

Carlos Drummond de Andrade

Oh se me lembro e quanto./ E se não me lembrasse?/ Outra seria minh'alma,/ bem diversa minha face./

Oh como esqueço e quanto./ E se não esquecesse?/ Seria homem-espanto,/ ambulando sem cabeça./

Oh como esqueço e lembro,/ como lembro e esqueço/ em correntezas iguais/ e simultâneos enlaces./ Mas como posso, no fim,/ recompor os meus disfarces?/

Que caixa esquisita guarda/ em mim sua névoa e cinza,/ seu patrimônio de chamas,/ enquanto a vida confere/ seu limite, e cada hora/ é uma hora devida/ no balanço da memória/ que chora e que ri, partida?

Fonte: do livro Corpo, 2ª ed, 1984 - meu querido livro!-)

Biografia sucinta: Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 31 de outubro de 1902Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1987) foi um poeta, contista e cronista brasileiro.(...)Drummond, como os modernistas, proclama a liberdade das palavras, uma libertação do idioma que autoriza modelação poética à margem das convenções usuais. Segue a libertação proposta por Mário de Andrade; com a instituição do verso livre, acentua-se a libertação do ritmo, mostrando que este não depende de um metro fixo (impulso rítmico). Se dividirmos o Modernismo numa corrente mais lírica e subjetiva e outra mais objetiva e concreta, Drummond faria parte da segunda, ao lado do próprio Mário de Andrade.
(Fonte: WIKIPÉDIA)

1 de mai de 2010

Para quem passar...

 Nascer do sol, em Fortaleza.
Fotografia: Marli Reis



Eu contemplo o mundo
onde o sol reluz;
onde as estrelas brilham,
onde as pedras dormem,
onde as plantas vivem
e vivendo crescem;
onde os bichos sentem
e sentindo vivem;
onde já o homem,
tendo em si a alma
abrigou o espírito.
Eu contemplo a alma,
que reside em mim..
O Divino Espírito
age dentro dela,
assim como atua 
sobre a luz do sol.
Ele paira fora na amplidão do espaço
e nas profundezas da alma também.
A ti eu suplico
ó Divino Espírito,
que bênçãos e forças
para o aprender,
para o trabalhar,
cresçam dentro de mim.


                                         Rudolf Steiner

***
Algumas vezes encontro em livros umas pérolas, então penso em compartilhar por aqui com os amigos que passam... E eu mesma quando volto à página sinto uma alegria por ter deixado aqui a beleza de alguém, neste caso, um olhar de Gudrun Burkhard no livro TOMAR A VIDA NAS PRÓPRIAS MÃOS, onde a autora lá pela página 60 finaliza o capítulo com o verso acima, falava do "despertar da alma infantil para o mundo". Grata à vida por isso!!! Grata a vocês que passam!!!