*




25 de fev de 2009

No garimpo

Nascer do sol em Fortaleza/CE
Foto: Marli Reis

"O ser universal todo está diante de nós como a pedreira diante do mestre-de-obras. Tudo fora de nós é só elemento - aliás, permito-me até dizer que também tudo em nós -; mas no fundo de nosso íntimo existe essa força criativa capaz de originar o que precisa vir a existir, não nos deixando repousar nem descansar até que, de uma ou de outra maneira, o tenhamos revelado fora de nós ou em nós mesmos." Goethe


"Pela falta de um pequeno autodomínio, esfacela-se a capacidade para o grande. É mal utilizado, e um perigo para o próximo, todo dia em que, ao menos uma vez, não se abdicou de algo pequeno: essa ginástica é imprescindível quando alguém quer conservar a alegria de ser seu próprio dono." Nietzsche


"Um calmo demorar-se nas belezas da vida dá à alma a força do sentir. Um claro pensar nas verdades da existência traz ao espírito a força do querer." Rudolf Steiner

Ah, essa música!

24 de fev de 2009

Fico pensando nesse clima de alegria...

Recrear

Alunos em apresentação teatral - Colégio Batista - Fortaleza/Ce
Foto: Marli Reis

A atividade artística desenvolvida pela criança é um preparo para o trabalho na fase adulta, fato que é do entendimento daqueles que conhecem a natureza criativa do brincar. Se a criança brincou, se criou recursos para seu brincar - fez de uma folha seca uma borboleta ou outra imagem mental - com o que tinha ao seu alcance de material lúdico, sua infância lhe proporcionou fundamentos, nesse aspecto, para uma fase adulta criativa. Deste modo, a capacidade cognitiva criativa pode se estabelecer pelo ato de brincar na infância e continuar se mantendo pela formação de novas estruturas mentais lúdicas durante as fases do crescimento físico. A dinâmica pautada na beleza de um conto de fadas, na plasticidade de uma peça esculpida em barro, nas imagens de uma colagem ou de um quebra-cabeça, nos movimentos corporais da dança, na pronúncia de letras e sílabas por alguém que sabe tocar o coração pela via direta da afetividade com musicalidade, preenche a vida de graça, força e beleza. Esses e outros conjuntos de atividades formam o ser – humano - através dos encontros com a Arte, valendo esse fato tanto para quem aprende como para quem ensina.

Escrito por Marli Reis

Transparecer

Entrada principal do Hotel Via Costeira - Natal/RN
Foto: Marli Reis



A mão que acena também pinta, borda, toca, esculpe e fala, e o observador atento poderia dizer que a mão é parte singular do organismo anímico quando em sua trajetória os traços de sua arte revelam sentimentos fortes como o amor e o ódio, onde ambos podem ser vistos no que o artista fala sem, muitas vezes, pronunciar uma palavra, entretanto, forças subjetivas do pensamento atuam na formação de sua obra. O que se percebe ao olhar mais profundo é que o criador artístico usa qualidades advindas da vontade, mas também da perseverança, da atenção, da coordenação psicomotora, do senso estético, e que por isso a arte tem valores que vão além da matéria física, os valores artísticos passam pelo sentido educacional e terapêutico, principalmente quando exercitados com regularidade e constância. Na medida em que as criações artísticas acontecem, todo o ambiente que está inserida recebe sua influência, é o caso da arquitetura, das artes plásticas, da escultura, da música, da literatura, entre outras belezas inspiradoras.


Escrito por Marli Reis




Reflexão, a arte e o anímico.

Aula de Capoeira - Praia Via Costeira - Natal/ RN
Foto: Marli Reis


Ao se fazer considerações sobre a Arte, torna-se possível iniciar uma viagem no tempo, sem, contudo, se perder dentro dele, afinal, um passeio pela história leva a encontros com as criações artísticas elaboradas pelo homem em seus movimentos anímicos evolutivos, onde sua sensibilidade interna é manifestada na plasticidade e estética de objetos que representam a imaginação criativa, o gênio inquieto, a observação atenta de quem vê possibilidades de aprimoramentos potenciais existentes na natureza e quer expressar sua subjetividade de maneira que outros possam entender sua comunicação ou possam elaborar questionamentos diante da obra criada, cujo sentido artístico e estético, sugira sua finalidade e origem, pois quando se formula questionamentos, amplia-se a visão geral, descobre-se nuances, e muito mais possibilidades de encontros e soluções são estabelecidos para a compreensão do elemento sensível que levou à concretização da imaginação criativa, e a Arte vai assumindo sua trajetória de transformações na essência interna do ser humano e no ambiente externo de relacionamentos necessários a sobrevivência do corpo orgânico, vai a Arte proporcionando a manutenção da qualidade de vida corpórea, mental e anímica, portanto, atuando preventivamente em processo terapêutico, configurando-se como elemento na formação cognitiva, atuando como instrumento que situa a história das civilizações no tempo, propicia relações com o conhecimento científico, emocional, espiritual, ajudando a encontrar soluções para os problemas da educação e o resgate do prazer em aprender.

Escrito por Marli Reis