*




14 de mar de 2010

A amizade e o medo.

 Bonina, um presente de amizade.
Fotografia: Marli Reis

 *

Pensei, li e pensei, que para as pessoas serem amigas houvesse necessidade da comunicação (a fala, o olhar, a confiança, entre outras ligações de convivência), mas existe o medo, medo da política, medo da economia, simplesmente o medo. Entretanto, não é sobre o medo essa mensagem, é sobre a amizade que aprende a vencer o medo. 

Porque esta postagem teve início nesta tarde calma de domingo, onde os sinos tocam suavemente... Os sinos que coloquei próximo à janela, a mesma por onde vejo os pássaros voando... A sensação de parar sentada e ficar a ouvir... Tantos sons que seguem a musicalidade dos sinos... Isso completa  o quadro  pintado, inicialmente, no que vejo. Os sinos me acompanham, a reflexão sobre a amizade e o medo também. Aceitável o medo quando a amizade principia, o reconhecimento e as alegrias ainda não viraram saudade, quando isto acontecer, apenas a amizade e o amor  continuarão unidos, numa fortaleza de gigantes. 

Boa tarde de domingo a todos que passam por aqui!
*
Amizade (do latim amicus; amigo, que possivelmente se derivou de amore; amar, ainda que se diga também que a palavra provém do grego) é uma relação afetiva, a princípio sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo.
(...)
A amizade pode ter como origem, um instinto de sobrevivência da espécie, com a necessidade de proteger e ser protegido por outros seres. Alguns amigos se denominam "melhores amigos". Os melhores amigos muitas vezes se conhecem mais que os próprios familiares e cônjuges, funcionando como um confidente. Para atingir esse grau de amizade, muita confiança e fidelidade são depositadas.
(Fonte de pesquisa: WIKIPÈDIA)